Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

mesmo sítio de sempre.

mesmo sítio de sempre.

inspiração #2

Ontem fui ver a Capicua ao Lux em Lisboa. Eu já vi Capicua ao vivo vezes sem conta mas é incrível como gosto sempre tanto e me divirto sempre tanto.

Ontem, especialmente, estava completamente fora de mim. Houve concertos dela que me tocaram profundamente talvez pela fase da minha vida por que estava a passar, e nos concertos dela encontrava, nesses momentos, muita inspiração e força para continuar. Toda a gente que me conhece sabe que eu gosto muito dela mas quase ninguém sabe porquê. Eu só acho que ela consegue exprimir na perfeição aquilo que eu sinto e mais, aquilo que eu sou. E eu não consigo gostar tanto de músicas de nenhum artista ou banda como gosto das dela. As músicas dela conseguem-me mesmo tocar no fundo de mim. E foi a ouvir Capicua que eu passei os melhores e os piores momentos da minha vida, foi a ouvir Capicua que eu cresci muito, foi a ouvir as músicas dela que eu consegui expor a minha identidade e foi com as músicas dela que encontrei muitas respostas e também muitas perguntas.

Ontem não foi um daqueles concertos em que me tenha emocionado e onde me apetecesse sair de lá a chorar, porque neste momento me encontro numa fase ótima. Mas foi, sem dúvida o concerto em que mais curti, onde mais me soltei. Eu fui sozinha, como vou a 90% dos concertos de hip-hop. Para mim já é um hábito e não me importo nada por isso. Acho que não houve 1 minuto desde que ela entrou até que ela saiu que eu não tenha tido as mãos no ar, como num verdadeiro concerto de hip-hop. Cantei muito, saltei muito, gritei muito, mas sobretudo diverti-me como há muito. Porque durante aquela hora e meia não se quer saber de ninguém nem se estou a fazer figuras ridículas com o meu estado de êxtase, nem sequer penso nisso no momento. Só deixo que a música leve a minha alma e o meu corpo. E sai-se de lá renovado, os concertos de hip-hop sempre funcionaram como uma espécie de terapia. Resulta sempre. É sempre aquilo que eu estou a precisar, seja em que momento for.

Só espero que ela venha cá brevemente. Há uns anos atrás havia pouca gente que conhecia Capicua, nessa altura eu já ia aos concertos. Quando saiu a Vayorken a carreira dela deu um salto gigante, e hoje, já muuuuita gente a conhece. É bom de ver essa evolução. O meu desejo é que, como muitos artistas o fizeram, não me desiluda.
#agentediverteseimense.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D