Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

mesmo sítio de sempre.

mesmo sítio de sempre.

quanto tempo

Às vezes tenho medo daquilo que possa ser sem ti. Que os meus níveis de racionalidade baixem ou simplesmente que seja mais fácil perder-me sem um foco viável por onde olhar. 

No outro dia o facebook lembrou-me que somos amigos há 4 anos. É sempre difícil para mim recordar 2 dos últimos 4 anos. Os primeiros foram sôfregos e tão devastadores que às vezes me fazem esquecer a forma romântica como nos conhecemos. Esse não foi o dia mais feliz da minha vida, mas foi o primeiro dia do resto da minha vida, das nossas até.

O mais estranho do nosso amor é que sei que ao teu lado nunca serei feliz todos os dias e a noção desta ideia é tão recente que ainda me sinto a digeri-la. Nem sequer sei se sou capaz de fazer-te feliz todos os dias, mas tenho me esforçado imenso para que tal aconteça. Toda esta ideia surgiu por um culminar de acontecimentos que aconteceram nos últimos meses e que ainda me fazem sentir distante de ti.

O amor para mim é insaciável, precisa de fogo, de chama, de calor e faz tempos que não sinto isto porque secalhar para ti tudo o que temos chega-te. 

Somos profundamente complexos e a nossa complexidade não se encaixa em quase nenhum lado.

Não acho que o amor se tenha esgotado mas isso poderá vir a ser uma consequência deste conformismo. Mais do que um namorado e um compromisso, preciso de alguém que me acompanhe no que eu gosto e por mais que isso me custe admitir e me custe que assim seja eu não tenho essa pessoa capaz de pôr os seus gostos de lado e acompanhar-me nos meus interesses. 

É como se eu necessitasse incessantemente que alguém me acompanhasse nos meus gostos e tenha de ir buscar essas pessoas a outro lado porque o meu namorado não é capaz de fazer isso por mim. 

Mas depois há sempre momentos em que não é possível ir buscar a outro lado porque a única pessoa que faria sentido lá estar eras tu. São esses momentos e juntamente com os outros que me fazem duvidar, por vezes, se vale a pena. E sempre que se põe esta questão eu não consigo imaginar-me com nenhuma outra pessoa, nem sei se me conseguiria imaginar sem ti.

É uma mescla indefinível de sentimentos.

Às vezes sinto que te estou a trair quando me divirto em concertos, por exemplo, com outras pessoas. Mas depois acabo por perceber que se não fossem os outros eu raramente me divertia. 

Há medida que o tempo passa, tudo isto vai doendo cada vez mais. Eu tenho 19 anos e gostava de viver a minha juventude contigo. Mas não dá. Por quanto tempo será assim?

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D